Total de visualizações de página

domingo, 14 de agosto de 2011

Homenagem aos pais

Desenho de Taciane, minha filha de seis anos.


Vou fazer uma homenagem aos pais diferente. Eu ainda tenho pai, mas seu papel em minha vida foi meramente biológico. Então, quem considero meu pai é meu avô paterno, pois a formação de meu caráter é baseada nele. Foi quem  me mostrou o certo e o errado. Ensinou-me a ser justo, honesto e humano. Para relembrar nossa convivência, há alguns anos, fiz um cordel relatando sua importância em minha vida e nossa rotina. Após alguns dias, telefonei para ele e minha avô (na época, ainda viva; faleceu há um ano) me disse que ele se emocionou tanto a ponto de chorar. Fiquei contente porque dentre seus setenta netos, eu fazê-lo se emocionar. Apesar de morar distante dele, ligo periodicamente;  para meu pai, nunca, uma vez que não se importa comigo. Então meu avô merece essa simples homenagem, visto que é pai de vários pais. Este cordel eu considero minha meia biografia.    

A FAZENDA VÁRZEA REDONDA
(Este cordel é dedicado aos meus queridos avós Antonio e Olga) 

Quando eu ainda era pequenino
E morava no interior,
Meus pais me abandonaram,
Porém alguém me amparou
E me deu amor e carinho
Devolvendo o meu valor.

Trata-se dos meus avós,
Por quem tenho muito apreço,
A eles sempre serei grato
Por me tirar de tropeço
E ainda hoje me estimar tanto
Até mais do que eu mereço.

E foi na Várzea Redonda,
Onde nasci e fui criado,
E aprendi as coisas da vida
E o que é certo ou errado,
Com o seu exemplo de vida
Meu caráter foi formado.

Há também outras pessoas,
Que tenho que pôr na lista,
Porque muito me ajudaram
Em obter tanta conquista;
Por eles tenho carinho:
São meus tios Deta e Batista.

E quando eu tinha doze anos,
Fui cuidar dessa fazenda;
Cuidava de ovelha e gado
E na roça eu tinha prenda.
Fazia tudo com presteza,
Pois também eu tinha renda.

Ganhava pelo trabalho
Novilha e ovelha por ano,
Roupa, roça p´ra plantar;
E alimento quotidiano,
E um auxílio pecuniário,
Se não me é ledo engano.

Ali enfrentei muitas secas:
Para salvar o rebanho,
Cortava os galhos das árvores
Seja qual for o tamanho,
Mas tinha que se servir
A alguns, de modo tacanho.

Sapecar mandacaru
Era uma outra alternativa
P´ra dar à vaca leiteira
Que se encontrava ativa
Ou àquela que estava caída,
Já que o alimento a reativa.

Levá-lo para os Brejinhos
Era também uma opção
Porque não tinha forragem
Quando chegava o verão,
Mas, por ser longe, tomava
Água só dia sim, dia não.

Eu saía de madrugada
De bicicleta ou a alazão,
Às vezes, era na Burra
Conforme a disposição,
Mas o modo mais freqüente
Era o jumento Grandão.

Na fazenda eu fazia tudo:
Era vaqueiro,aboiador,
Fazia cerca de arame ou lombo,
De ovelha era pastor,
Cuidava da plantação,
Colheita, era agricultor.

No rebanho de bovino,
Só havia gado de raça,
Que não era superado
Por nenhum outro da praça,
Vaca que seu leite dava
Para encher uma cabaça.

Havia nelore, mestiço,
Guzerá, gi, holandês,
Hindu-brasil e pé-duro
E  outras duas raças ou três,
O fato é que o rebanho
Agradava ao freguês.

Eu aboiava todo rebanho
Pelo respectivo nome,
E ele me obedecia mesmo
Que estivesse com fome,
Mas uns só me atendiam pelo
Seu apelido ou codinome.

Era a Aparência, a Bicó,
A Saboneta, a Serrinha,
A Saia-Branca, a Garota,
O Guzerá, a Rainha,
O Cupido, o Negro, que
Com o Holandez tinha rinha.


Porém tudo melhorou
Com a construção do Açude,
Pois com água em abundância,
Todos mudam de atitude:
Plantar, colher o ano todo
E também cuidar da saúde.

Nós  plantávamos de tudo:
Batata, cana, goiabeira,
Capim, milho, mamoeiro,
Feijão, melão, macaxeira,
Pepino, melancia, abóbora,
Ata e também bananeira.

E também tinha fartura
Tratando-se  de pescado,
Pois  botamos nele peixes
Porque  não tinha sangrado.
Pescávamos facilmente
Onde ele tinha secado.





Os peixes eram diversos:
Curimatã e sardinha
Piau, corró, traíra, mandi,
Bodó, molão e branquinha
E outras espécies que eu
Conhecimento não tinha.

Pegávamos  peixes com
Lata,  anzol ou landoá,
Com galão de pesca ou pau,
Mas uns tinha que tarrafar,
Outros usávamos ramos
A fim de os encurralar.

Quando animais adoeciam,
Tinha que deles cuidar;
Seja bicheira ou tinguir,
Broca ou endemia a contagiar.
Com instrução do meu avô,
Tratrava-os até curar.


E também, na minha folga,
Nunca  havia brincadeira,
Eu entrava na mata para
Extrair mel de abelha e cera
De italiana e arapuá,
 Jatir, que dava em arueira.

Porém, tive que ir embora,
Em busca de uma ilusão,
Meu avô vendeu a fazenda
Porque não achou outra opção,
Cuidar dela não podia,
Pois não tinha condição.

Nesses tempos de menino,
Sem saber, eu era feliz,
Mas eu tomei outro destino
Longe de minha raiz,
Mesmo vivendo sem  pais
Vivi muito bem e em paz.




Muito tempo se passou,
Mas me deixou bom lembrar
Do lugar onde nasci
E de quem me quis cuidar.
“Não permita Deus que eu morra
Sem que eu  volte  para lá”.

Agradeço ao meus avós
Por tudo que me têm feito,
Pois, quando achavam que minha
Vida não teria mais jeito,
Minha estória eles mudaram
Com a causa e com o efeito.

Vivendo 
Ávidas
Recordações
Zelosamente
Especiais de bons
Acontecimentos

Razões
Excepcionais que
Deus nos permite
Organizar em
Nossas reminiscências e
Dedicarmos a quem
Amamos.


38 comentários:

  1. Bento... fiquei imensamente feliz quando vi no meu painel que vc tinha postado.
    Vim correndo pra ca.
    E me deparei com tantas coisas belas.
    Visualzei cada frase do seu cordel.
    Tb sou filha do campo.
    Sei o que e plantar, sei o que e olher..
    Trabelhei na roa de cafe, acucar, amendoim, algodao..
    Ate trago uma cicatriz na perna conseguida na roca de algodao.
    Apesar das dificuldas, estas que eu nem perebia ( vim perceber que erm hj ), pq estando entre meus iguais, eu nao sabia o que era ter mais.
    Nunca me faltou o que comer. O campo nos dava tudo o que precisavamos.
    felizmente na figura de meu avo um homem forte, que sempre agregafa a familia ao redor dele.
    Meus pais nem tem o curso primario.
    Vim para SP com 10 anos. A minha primeira disilusao aconteceu ai.
    Quando eu vi onde eu ia morar. Achava que SP era o Paraiso e me deparei com uma realidade diferente.
    Mas abencoo tudo isso.
    Sei o que e ter e o nao ter. sei o que e ser..e o ser e muito mais importante.

    Seu avo e seu pai. Linda esta sua homenagem a ele, que me emocionou.

    sempre admirei vc, desde o primeiro dia.

    Seu cordel ficou lindo. percebe-se que vem do coracao..nao do intelecto..
    Apesar que seu inteecto e grandioso.

    desculpa ter feito um comentario tao grande.. mas fiquei deveras emocionada com sua historia, que me remeteu a pensar na minha.

    Diz a sua filhota que o desenho dela e lindo. Que ele ja e uma artista!

    Um bj..fica com Deus..e Feliz dia dos Pais!!

    ResponderExcluir
  2. Me fez chorar.
    Mas não fique todo animado não.
    Isso está se tornando uma constante.
    Ando chorando ate por derrubar uma caneta.
    Que bom que voltou a postar.
    Beijão na Tacy.

    ResponderExcluir
  3. Que bela homenagem.
    Não sei ja te disse que te admiro.. se não, publiquei minha admiração no blog.
    Mas te admiro por ser esta pessoa descrita no cordel. Que hoje, após passado tudo isto, não esquece da raiz.
    Tem pai e PAI. E você teve a sorte grande de ter um PAI avô.
    Lindo ele ter setenta netos. A minha família é muito pequena.
    Parabéns a voce e ao sr. Antônio.

    Um abraço, com carinho.

    ResponderExcluir
  4. Bentinho!
    FELIZ DIA DOS PAIS!!!!!
    Fiquei muito feliz com seu novo post!
    Volto depois para comentar com calma. Tenho que atender a família agora.
    Abração, amigo!
    E muito obrigada pelo comentário emocionante por lá!

    PS.: O desenho da Taciane está ótimo! Lindo! Que amor!

    ResponderExcluir
  5. Feliz dia do papai!!!!!

    Que Deus te ilumine sempre e aos seus também....

    bjsss meuss

    CAt

    ResponderExcluir
  6. Bento, amigo querido.
    Que lindeza de cordel. Bonito de ver e gostoso de sentir. Fiquei te imaginando menino, na lida da fazenda, na vida que Deus te deu.
    Eu tb fui acolhida por meus avós, minha mãe ficou conosco, meu pai nos deu as costas. E hoje agradeço a cada dia por ter tido a oportunidade de conviver com uma pessoa tão linda e que me fez uma pessoa boa.

    Bento, tu és um grande cara.
    Agradeço por ter t encontrado por aqui, nessa enorme blogosfera, pq tu é uma pessoa muito bacana, muito especial.
    Assim como a Ma, tb digo que te admiro muito e te gosto desde o primeiro dia que pisei aqui no teu mundo.

    Um beijo grande, e um feliz dia dos pais!

    ResponderExcluir
  7. Bento, uma coisa eu te digo com certeza, lendo esse cordel sobre a sua infancia eu fico com o maior orgulho de ter um amigo como vc aqui na blogsfera!
    Mesmo com uma vida difícil vc se tornou um cara super inteligente e talentoso. Parabéns.
    Espero q vc tenha ficado bem hj.
    Suas lindas criações só agregam valor a quem quer q as leia.
    Grande abraço e boa semana pra vc ;D

    ResponderExcluir
  8. Bento parabéns pela data e pelo fofo desenho da Taciane. Um post num todo, emocionante meu amigo. Um grande abraço meu querido.

    ResponderExcluir
  9. Bento!
    Muito lindo seu cordel!
    Que talento colocar em versos praticamente uma vida inteira, e ainda de forma poética. Maravilhoso!
    Bênção ter um avô assim! Alguém com amor-doação para nós. Uma bênção, verdade!
    Bento, novamente feliz dia dos pais.
    E um beijinho para filhota!

    ResponderExcluir
  10. Bento querido,
    Que Cordel! Maravilhoso. Conheci bastante você e o resultado foi : ADMIRAÇÃO!
    Um post deveras tocante.
    Parabéns ao seu avô, por tê-lo transformado no homem que se tornou.
    Parabéns a você, pelo seu dia.
    Abração.

    ResponderExcluir
  11. Bento Sales,

    Que admiração tenho por seu trabalho, parabéns pelo cordel, tenho muitas saudades de meu pai (já Falecido), mas que me deixou grandes exemplos de honestidade e valores familiares , nordestino trabalhador nunca fugia da batalha morreu pobre porem honesto. Boas lembranças vêm em minha mente.

    Pai
    Amor
    Infinito

    Um forte Abraço Bento

    Estevão Souza

    ResponderExcluir
  12. Oi Bento, que linda homenagem! A cada dia que te leio te admiro muito mais.
    Sua poesia é rica em detalhes e muito profunda em sentimentos.Seu avô devia ser um homem muito sábio. Seus versos me encantaram mais me emocionaram muito. Falar de pessoas que nós fizeram ser o que somos hoje em forma poética dessa forma, só um poeta como tu tem essa grandeza. Obrigada meu amigo pela leitura. Muito bonita.
    Desejo uma ótima semana cheia de muitas coisas realizadas pra ti.
    Beijos !
    Smareis

    ResponderExcluir
  13. Bento, fiquei emocionada com a belissima homenagem que fez para papai avô,estou sem
    palavras!! Você falou de tudo,nâo esqueceu nada!

    É muito dificil demostrar o que sentimos por
    uma pessoa, principalmente quando se fala de
    Papai avô tão especial!
    Feliz dia pais,felicidade e muito sucesso
    na sua vida!
    Beijo na Taciane.
    Abraço!
    Luci Sales.

    ResponderExcluir
  14. Que bela postagem professor Bento.Eu quem agradeço as tuas palavras, volte quando quiser, sabes o quanto aprecio seus pontos de vista. É muito bom ver você escrendo aqui. A vida é assim mesmo. O texto agora ficará lá um bom tempo, ando sem tempo até para corrigir ele.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  15. Bento, adorei saber q és filho do campo!
    Tbm fui criada pela minha avó e meu pai.´
    Olha, parabéns pelo Cordel.
    Perfeito como tudo q vc faz!
    Abraços meu amigo e ótima semana!

    ResponderExcluir
  16. Olha só, o menino do campo escreveu um cordel. Só um homem culto sabe escrever um. Admiro-te.

    Que seu avô seja digno de vida longa!

    Parabéns ao menino, e agora pai, o Bento.

    um abraco!

    ResponderExcluir
  17. Bento meu amigo, perfeito!
    Adorei teu cordel e saber que foi criado no campo onde melhor criação não há!
    É onde aprendemos o valor da vida e com ela sua simplicidade.

    Vim atrasada, mas espero e por certo, teve um ótimo dia dos pais!

    Quanto a postagem "Saudade" ao qual sentiu falta, eu achei melhor tira-la pois não conseguia ir no blog, então decidi tirar pra que eu prosseguisse.
    Na verdade coloquei ela em meus rascunhos para não ler toda hora.

    Bom começo de semana meu amigo e aos poucos voltando a normalidade das coisas!
    E irá me ver muito por aqui tropeçando em tuas folhas soltas :P
    Abraço e beijão na Taciane!

    ResponderExcluir
  18. Compreendo seu posicionamento em relação ao seu pai biológico, entretanto saiba que na vida o que diferencia o grupo hominal para o grupo animal é a capacidade de compreender o desenvolvimento de cada criatura.
    Muita PAZ!

    ResponderExcluir
  19. A vida tem estranhos caminhos. Jamais poderá imaginar como teria sido se seus avós não o tivesse levado. Mas com eles encontrou amor e firmeza de caráter, o que se depreende de suas postagens.
    Seu cordel é como biografia, conforme mencionou. Apresenta traços de sua caminhada e de seu reconhecido afeto por quem o merece.
    Parabéns!

    Bjs.

    ResponderExcluir
  20. Olá, Bento.
    A vida é um cordel que conta nossas histórias. Você descreveu tão bem a sua que pude sentir saudade da minha infância, também vivida no campo com cenário semelhante ao que você descreveu. Meus pais não foram ausentes em minha vida, mas a minha preferência de convivência foi pela casa dos meus avós maternos. Vivi boa parte da infância no sítio deles. Cabe ressaltar a importância afetiva deles em nossas vidas. A experiência de vida que eles carregam nos transmite com mais segurança, mais certeza de que o amor é necessário em nossa formação.
    Tanto é que a gente reproduz o que aprende e podemos sentir na sua página de vida relatada aqui o quanto é verdadeiro o que você escreveu, porque nela flui a bênção da paz. O desenho de Taciane também é parte dessa página de paz.
    Um abraço, amigo.
    Que você possa sempre transmitir essa sua paz, tão necessária no mundo.

    ResponderExcluir
  21. Que bom estar aqui no seu blog!!!
    Que bom poder contar com sua amizade!!
    Que bom saber que além da presença
    de Deus na minha vida .
    Tenho amizades fiel como a sua que me da força
    e alegria de poder contar sempre com você.
    Ter sua amizade é muito importante para mim ,,
    porém tenho que fazer por mercer,,
    e acima de tudo ser digna da sua amizade.
    Que Deus cubra de benção seu Dia.
    Siga com Fé, e Deus abrirá portas
    onde antes só haviam paredes
    A chava da felicidade esta dentro
    De nós mesmos.
    Abra seu coração e seja faliz.
    É preciso ter força,coragem e sonho sempre.
    Eu tenho a estranha mania de ter fé na vida.
    Beijos no seu coração,,Evanir,,

    ResponderExcluir
  22. Linda homenagem querido vc é muito especial bj no teu coração uma linda noite!

    ResponderExcluir
  23. Caro amigo, Bento

    Primeiramente quero informa que fui acometido de idêntico mal, ter um pai biologicamente falando .que tem o sobrenome ausência. Mas semelhantemente ao seu acontecido, a vida colocou pessoas que mesmo longe, se fizeram presente na minha vida, é sempre bom presta homenagem a estas pessoas. Somente um coração grato as pessoas que passaram por sua vida. É capaz de presta tão linda homenagem.

    ( Nota de curiosidade, o seu avô tem 70 netos, seu avô teve muitos filhos, ou foram os filhos de seu avô ?)

    ResponderExcluir
  24. (Valeu mano Bento Nota de curiosidade esclarecida com tantas pessoas de sua família espalhadas penso que você deve esbarrar com algumas delas na fila do banco ou ate mesmo pega o mesmo ônibus. (risos)

    ResponderExcluir
  25. Fico muito feliz com suas visitas e seus procedentes comentários.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  26. Linda homenagem Bento que conta histórias de vidas. Lindas todas!
    Que pena que no dia dos pais estava sem internet e infelizmente não tinha visto antes seu post.
    Beijos,
    Carla

    ResponderExcluir
  27. Bento, querido,
    Obrigada pela visita. Já estava vindo para cá quando você chegou lá.
    Abração.

    ResponderExcluir
  28. Bento..obrigada pelo carinho comigo e com a Pris.
    Bj

    ResponderExcluir
  29. Bom dia Bento!
    Passei para dar um bom dia musical e feliz!
    Carla
    :D

    ResponderExcluir
  30. Amigo,
    Selinho pra vc no meu blog.

    Abraço

    ResponderExcluir
  31. Lindo cordel,Bento!Lindo texto.Alma linda.
    Quero te fazer um convite,proximo 4 por 4,topa?Te aguardo ate amanha,se for sim passa no blog e me deixa teu e-mail que te mando o tema ok?Bjka

    ResponderExcluir
  32. Oi Bento, que linda homenagem são versos do coração, algo que sai do sentimento, adorei, deverias escrever um livro, pois tens dons especiais, que os anjos protejam você e sua família, tua filha já é uma artista parabéns...
    um abraço Ana Arend - Blog Segredos Ocultos

    ResponderExcluir
  33. amei tudo por aqui fico seguindo-te e lendo tudo aqui com mais calma!

    ResponderExcluir
  34. o selinho é seu, é só pegar. bjo
    obrigada.

    ResponderExcluir
  35. Boa noite Bento,

    Li, com atençao, o texto postado.
    Se estivesse ao meu lado, beijar-lhe-ia as mãos, como sinal de humildade e apreço.
    Sabe, quando olhei a sua fotografia, faltava algo nos seus olhos, Tinha olhar de menino triste.
    Agora, e como dá a entender com os seus versos tudo melhorou.
    A vida nem sempre nos sorri, mas há, sempre, um dia, que muda as nossas vidas.
    A felicidade e a alegria existem, agora, na sua vida e isso é o mais importante.
    Os seus avós foram a sua âncora e o campo o seu estandarte.
    É um homem completo e preenchido.
    Parabéns.

    Beijos de luz.

    ResponderExcluir
  36. Já tinha lido há tempos, mas, por qualquer razão, acabei por não comentar.
    Bento, o seu percurso de vida é exemplar, e fiquei bastante sensibilizado. Que as forças nunca lhe faltem, meu amigo!

    Abraço

    ResponderExcluir