Total de visualizações de página

domingo, 2 de outubro de 2011

Psicologia de um paupérrimo

Desenho de Taciane, minha filha com seis anos.

Este poema tem uma história curiosa: foi feito com a sobra das idéias do poema "Psicologia de um melancólico" publicado anteriormente. Eu explico: na inspiração do soneto, tive muitas idéias, mas, em virtude da métrica e da rima, não couberam todas em um único poema, então, aproveitei as ideias restantes para fazer outro poema. Em suma, aproveitei o que sobrou de uma obra, reciclei e fiz outra.

Estou no blog de minha amiga Emíliana,  As histórias de Emília,  no ping-pong, se os amigos quiserem saber mais sobre mim, deem uma passadinha lá. E também no site de minha cidade natal com um poema publicado www.independenciano.com.br.   Quero agradecer a todos pela visita. 

O que fazer, se já nasci indigente?
Acho que jamais serei nobre gente!
Sou explorado desde o início da vida;
Nunca para isso encontrarei uma saída.
Estou condenado a trabalhar
Para poder me sustentar.
Vivo neste sofrimento eterno
E ainda poderei ir para o averno.
Seria melhor ter sido um natimorto
(Ou simplesmente um aborto).
Assim sendo, não passaria por esta dor
Nem seria um mero pecador.
Não tendo nenhuma vivência,
Eu não estaria fadado à sobrevivência.
Praticamente não existo!
Apenas subsisto.




41 comentários:

  1. Bentinho, meu querido amigo!
    Genial, amigo!

    Das sobras de ontem, o pastelzinho amanhã! :)

    "Praticamente não existo!
    Apenas subsisto."

    Que expressão! Sinceramente, nem parecem sobras, mas eu diria que foi uma bela costura iconoclasta que fizeste, que poucos conseguiriam com essa maestria, e ainda preservar o estilo... magnífico isso!

    Meu amigo, passarei lá para ver ler teu ping-pong, agorinha mesmo.

    Muito obrigada pelo carinho ao post lá na Ma, ao poema, (muito simplório rsrs).
    Um forte abraço da amiga de sempre!

    ResponderExcluir
  2. Bentinho!
    Li e comentei lá na Emiliana, mas tenho algo a dizer aqui, embora tenha ficado um pouco muda por lá..., você é um grande exemplo de superação, meu amigo! Nunca iria imaginar o que passaste se não fosse ler tua entrevista. Tem coisas que se cumprem, como um roteiro, apenas se cumprem, para que as superemos.
    Você mostrou a garra de poucos, a sabedoria, e agora toda esta incrível superação!

    Te admiro muito, você, sem dúvida nenhuma, é um dos grandes da blogosfera, e também um grande amigo,quase irmão, fique sabendo!
    As portas de minha amizade sempre estarão abertas, na esperança de um dia nos conhecermos, e confraternizarmos com nossas famílias!

    Grande abraço, da amiga de sempre!

    ResponderExcluir
  3. Esse poema me fez lembrar de João Cabral de Melo Neto, onde o silêncio interior de um dos tantos Severinos vem nos narrar sua trajetória como retirante. A pobreza estava nele, mas não a de espírito, tal como tu demonstras aqui nessa fênix poética tirada dos resquícios de um outro belo poema. Fiz um poema em prosa outro dia, ofereci-o ao amigo Jorge Pimenta, mas por conta desse grito silencioso e severino, entrego-te a ti também: o poeta que afina todas as dores.
    Vou colá-lo abaixo..

    OS AFINA-DORES DE SILÊNCIO...

    O silêncio é algo tão sutil que muitas vezes – se prestarmos bastante atenção – poderemos até nos ouvir nele. Não falo do barulho que vez por outra o mundo nos faz o favor de sossegar, mas dos concertos refestelados pela leitura silenciosa de boas obras e, consequentemente, de nossas próprias vozes sob a regência de seus autores/maestros: os “afina-dores” de silêncio.
    A Saudade, por exemplo, é a irmã portuguesa do Silêncio e representa uma pequena fração da dor. Fernando Pessoa sabia disso, então "afinou" a Saudade como a um fino alfinete e cravou em si mesmo para finalmente vazar-se em seus poemas e, de forma eventual, respingar em todos nós, leitores. Já para Mia Couto (escritor luso-africano) “o silêncio está no plural. Sim, porque não há um único silêncio. E todo o silêncio é música em estado de gravidez”. A Saudade, nesse caso, é a tia iminente de uma pequena canção. Talvez um Fado lusitano!

    ResponderExcluir
  4. Olá, Bento! Li seu pingue - pongue no blog da Emiliana e agora estou conheço o seu blog e parabenizo-o! De uma humanidade à toda prova. Sabedoria de vida que não se aprende em bancos escolares e nisso você é mestre! Por tudo, parabéns! Abraço, Célia.

    ResponderExcluir
  5. Bento, que grande seu poder de criação.
    Fazer das sobras um lindo lamento desses.
    Apesar de triste e melancólico é como sempre verdadeiro e original.
    Boa semana e beijão na Tacy.

    ResponderExcluir
  6. Bento, com sua permissão, não vou comentar seu post, que com todo carinho li atentamente e como sempre, é de uma preciosidade notória. Venho colocar aqui para você, o mesmo comentário que fiz no blog da Emília a respeito de sua pessoa. Copiei o comentário que fiz lá e reproduzo aqui. Por que faço isso? Para que por ventura os que não visitaram o blog da Emília, possam assim fazer, pois terão contato com uma história de vida e superação, vivida, sentida e protagonizada por uma doce figura humana, Bento Sales. Abaixo o meu comentário, que quero que sirva de estímulo para os leitores visitarem o blog da Emília e se emocionarem com a história de vida desse querido blogueiro.

    Eu sou um profundo admirador do Bento, apesar do pouco tempo em que o acompanho, mas suficiente para nutrir grande admiração por sua pessoa. Depois dessa lição de vida que foi a história de sua vida, aqui narrada por ele, muito mais admirador ainda fiquei. Bento, o mundo, precisa e necessita de pessoas como você. Você teria todos os motivos do mundo para justificar qualquer situação adversa em sua vida nos dias de hoje, o que até seria natural, levando-se em conta toda dramaticidade que viveu. No entanto, fez disso uma força do íntimo de sua alma, viveu, sofreu e superou. Transformou suas dores, suas tristezas, suas decepções com a vida num grande aprendizado para hoje poder olhar para trás e ao invés de se envergonhar de todo um passado e lamentar por ele, se orgulhar e poder contar toda essa vivência para nós aqui no blog da querida Emília. Bento, continue contando sua história de vida para outros mais, ela serve para muitos que qualquer livro de autoajuda ou coisa que o valia. Emília, parabéns pela entrevista que fez, da qual não tenho dúvida em afirmar, foi a entrevista que muito mais que saber sobre um grande blogueiro, foi poder se emocionar e aprender um pouco mais sobre a vida. Me desculpe por alongar-me nesse comentário, mas falei com toda verdade da alma. Emília, um beijo no seu coração.

    ResponderExcluir
  7. Folhas de Outono adora visitar Folhas Soltas!
    Bom dia meu amigo carinho!
    Sempre que faço uma poesia,texto,conto,etc.sempre me sobra algo que reciclo.E ficava a imaginar pq tinha que sobrar.Agora lendo vejo que outras pessoas tbm vivem o mesmo drama como vc.
    "Praticamente não existo!
    Apenas subsisto."
    Sustentar uma vida sem existir é complicado...
    Bjs de dia de domingo!

    ResponderExcluir
  8. Olá Bento!

    Na subexistência, encontramo-nos com o pensamento indulgente de tudo aquilo que somos. E como já se dizia o filósofo: Onde há pensamento, há existência, mesmo que precária, ainda há.

    Belíssima criação!

    Abraços Meus!

    ResponderExcluir
  9. Um prazer imenso te colocar no meu Blog no Ping Pong.Vc ja deve ter percebido que tenho uma visão contraria a ídolos e celebridades.Pra mim,meus ídolos e celebridades são pessoas do meu cotidiano.E vc passou a ser uma delas desde que ganhou a minha admiração pela tua maneira de ver as coisas e se expressar.
    Obrigada pela tua participação: http://historiasdeemilia.blogspot.com/
    Engrandeceu ainda mais o meu Blog
    Bjkas

    ResponderExcluir
  10. Bento meu querido!
    Fui na Emiliana e não pude deixar de me emocionar lendo tua história!

    Isso só fez aumentar o meu apreço e admiração por vc!

    Parabéns por ter se tornado essa pessoa que és!
    Uma pessoa de boa Índole.

    Abraços meu querido tenha um Ótimo Domingo e dê um beijo na Taci por mim! =*

    ResponderExcluir
  11. Bentinho, meu amigo!
    Confesso que fico aguardando quando trocas a postagem, talvez por isso tenha sido a ,ra nos últimos dois posts, a comentar.
    Sua vida de superação, é sim, importante de ser contada para quem não sabe, apesar de uma exposição, a lição que advém dela, é superior a qualquer outro fator!
    Grande abraço, amigo! Ótima semana!

    ResponderExcluir
  12. ...quis dizer: "a primeira" a comentar... rsrs
    Abraços!

    ResponderExcluir
  13. Bentinho, voltei...
    li teu poema e comentei! (elogiei muito, isso é verdade)! O idiossincrasias! Maravilhoso, amigo! Seria bom se divulgasse no teu blog, não? Assim, outros amigos podem ter acesso, apenas uma sugestão! Em se tratando da cidade natal, é sempre bom mantermos nossos laços também!
    Parabéns, amigo!

    ResponderExcluir
  14. Oi Bento...

    Ontem eu visitei o blog da Emiliana e fiquei muito feliz em te ler por la!

    Superacao e o seu nome!!!

    Todos temos nossas historias, Eu tenho uma meneira singular de pensar.
    Penso que nada e por acaso. Que quando chegamos a este mundo , vimos
    com uma missao. Uma e de apreender, outra de ensinar.

    As pessoas que por nossas vidas se deparam fazem parte do exercico do apreendizado.

    Diante destas situacoes eu sempre me pergunto..O que esta situacao me ensina?

    As vezes e ser pacente, as vezes e o perdao, as vezes a resignacao e por ai vai..

    Mas na tua historia vc aprendeu a licao direitinho. Aprendeu no minimo a como NAO fazer.

    Vc tem o teu trabalho, a tua vocacao de escrever, a tua familia, e uma artista na familia..a atua filhinha.

    Se pensar..olha com quanta coisa boa Deu te recompensou!

    Quanto ao seu poema.... Forte!!! digno de um escritor como vc.
    Um dia quero um livro seu autografado!!

    Com carinho!

    ResponderExcluir
  15. Fala Bento,

    Eu ia comentar aqui mas antes resolvi passar no blog da Emiliana pra ver seu ping pong e gostei muito. Parabéns. Apesar do relato da separação, deu pra perceber que você não se abalou e seguiu em frente com a sua vida, superando da melhor forma possível.

    Quanto ao seu "poema reciclado", ficou excelente, mas o que mais me chamou a atenção é o preparo de um poema. Às vezes o poeta quer falar sobre uma coisa, quer escrever de um jeito mas as coisas não se encaixam, e ele tem que fazer adaptações para montar a estrutura, coisa quase artesanal. Aí deixa de fora algumas coisas que ele poderia ter usado. Felizmente você soube aproveitar em um outro poema. Foi bom saber como funciona seu método.

    Grande abraço e saudações rubro-negras!

    ResponderExcluir
  16. O mundo precisa de exemplos. Exemplos assim, que partem de pessoas com as quais podemos conviver e admirar. Estou certa de que essa melancolia descrita em seus versos é inspiração poética. Sua vida nos conta isso, a verdade de um grande homem.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  17. Bento...
    Fico até sem jeito..mas a Regilene fez um poema pra mim que até me emocionou..
    Quer ir la dar uma olhadinha?
    http://oquetragonaalma.blogspot.com/
    Bj

    ResponderExcluir
  18. Folhas de outono adora visitar Folhas soltas !
    Passei lá no blog da nossa amada Emilinha ,vc estava todo lindo recepcionando seus seguidores.me senti feliz e sorridente depois que li sua história de vida...que nada mais ou nada menos é diferente da minha.Na superação,eu tbm superei dentro do meu contexto de vida,e quando encontro pessoas que possa me entender,por tbm ter tido uma história de vida sofrida.
    Domingo eu estarei no ping-pong da Emilinha,e desde já te convido para conhecer minha história de vida,rsrsrsrsrs,hj vale a pena rir.Mas para escrever a matéria tive que voltar no tempo e me abalei muito.
    Quarta-feira tbm estarei no 4 por 4 da Emilinha,ao escrever a matéria não sofri nada,rsrsrsrsrs,como nossa cabeça viaja né!
    Bjs meu querido!Mas de boa noite,rsrsrsrs

    ResponderExcluir
  19. Bento meu amigo!
    Lindo poema e não poderia ser diferente de tudo que faz.
    Retratou uma história triste com tons de sabedoria e a deixou bonita de se ler.

    Visitei o blog da Emiliana... você é uma superação de vida e deve muito se orgulhar disso.
    Fiquei imaginando vocês 9 sem o alicerce que firma uma família... e como deve ter sido cruel tudo isso que viveram.
    De tudo que aconteceu, hoje poderia não estar mais aqui, poderia ter se tornado um viciado e tudo mais que a vida oferece de ruim. Mas não, tu aproveitou o que ela tem de bom e se transformou no que é hoje e pode bater no peito com orgulho e dizer aos quatros cantos do mundo que é um vencedor por conta própria.

    Você me faz crer que ainda existem pessoas do bem aqui na net, pessoas de boa índole, pessoas que por terem sofrido na vida não fazem o mal aos outros.
    É um orgulho pra mim te ter como um amigo.
    E eu também tenho o grande defeito de acreditar nas pessoas de olhos fechados e já quebrei a cara por causa disso, mas uma hora de tanto levar na cara a gente aprende a ir com mais cautela, rsrs

    Ps: quanto ao meu perfil, esta sou eu mesma, a outra foto não era minha, usava um avatar e pra te ser franca nem sei o pq, rsrs

    Obrigada por ser sempre gentil e ser assim tão verdadeiro.
    Bom começo de semana pra ti e tua família.
    Beijo na filhota e um abraço amistoso em vc!

    ResponderExcluir
  20. Bento passei aqui, mas primeiro fui ver o teu ping pong. Ja te admirava como amigo e poeta, depois que li a entrevista te admiro ainda mais e mais...Conte sempre com minha amizade poeta. Seu poema é espetacular. Você nasceu com o dom das palavras, e brinca muito bem com cada uma delas... Esse dom só os grande poeta tem... Um abraço!
    Smareis

    ResponderExcluir
  21. Olá Bento!
    Lindissima poesia...mas sabe o que adimiro de verdade, tua capacidade de renascer..conferi tua história lá no blog da Emilia. Admiravel...e sabe pq?
    Pq apesar de tudo, vc não se perdeu de vc, e não se tornou uma pessoa revoltada, mas sim um ser humano sensivel e capaz de amar..e ama!

    Bjos no coração..paz e bem pra vc guerreiro!

    ResponderExcluir
  22. Bento!
    Mas és um amigo sempre presente não é mesmo?
    O melhor de se ter um blog é isso não é?
    fazer amigos,unir,e realmente nosso amigo Anderson escreve maravilhosamente bem!

    beijo!

    ResponderExcluir
  23. Olá Bento !

    Vim pelo blog da Emiliana, li sua história e me senti comovido,temos muita coisa em comum caro amigo. Agora visitando sua página, que por sinal muito bem construida, me admirei com belas poesias e cordéis. Vou lhe seguir e espero que me de a honra de me visitar, ja que temos tantos amigos em comum na blogosfera !

    Abraço !

    ResponderExcluir
  24. Eu adoraria comentar seu poema. Até ia... mas resolvi ir no blog da Emília.

    Já imaginava tudo o que li lá, pq ja havia lido nas entrelinhas. Mas saber como as coisas acontecem, dói.
    Ja te admirava. Te admiro muito mais. Seu coração é muito bom.
    Fico feliz por ter um amigo tão grande.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  25. Bento nascemos em condições sociais específicas mas livres para sonhar e criar belezas como esta tua.
    Bjs

    ResponderExcluir
  26. Amigo Bento, tem pessoas que nascem com uma luz tão brilhante que atraem todos com sua doçura e inteligência...Parabéns você é um exemplo de superação...Um abraço

    ResponderExcluir
  27. "Praticamente não existo!
    Apenas subsisto."
    Uma psicologia onde não subsiste, sequer, uma ponta de dignidade.

    Bom trabalho, Bento!
    Parabéns para si e para Taciane, a sua ilustradora de eleição.

    Abraço

    ResponderExcluir
  28. Bento, você é um exemplo de vida e de pessoa para a humanidade degradada hoje.

    João Alfredo

    ResponderExcluir
  29. Boa noite meu amigo carinho!
    vim só te dizer que estou solta por ai,kkkkkkkk
    Hoje estou no blog da Emilia falando da violência na mulher,estou no blog da Chica com meu céu da Paraiba.Mas tbm estou no meu,kkkkkkkkkkk,com céu e tudo,kkkkkkkkk
    Passa por lá para me fazer um afago...
    bjsssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  30. Bento,
    Você é mesmo formidável. Conseguiu transformar sobras de um poema em um outro belo poema, apesar da tristeza que dele exala.

    Fui ver seu ping-pong e fiquei emocionada com a história de sua vida. Você é um guerreiro, pois apesar de todo o sofrimento, superou tudo e ainda se transformou neste ser poético maravilhoso (E ainda por cima, de sorriso fácil!).

    Um abraço, com super carinho.

    ResponderExcluir
  31. Bento estava atualizando e passei pra dar um Alô ao poeta. Se sobras de palavras sai esse poema maravilhoso, imagine as palavras inteiras.Deixo um abraço e uma ótima continuação da semana.
    Smareis

    ResponderExcluir
  32. Caro Amigo Bento!

    Antes mesmo de fazer um comentário no Emiliana, tinha que deixar minha gratidão expressa ao amigo encorajador, incentivador que o amigo. Bento és para mim, pois mesmo quanto fez meu blog, e iniciei postando meus textos com muitas barbeiragem na escrita (barbeiragens que tenho até hoje) (Risos). Não foram capazes de cessarem as visitas nem os comentários, sendo para minha uma
    mão, para mim trazia a tona, do mar daquele que só sabem criticar. Meu muito obrigado pela força em meu caminhar amigo.

    A Psicologia de um paupérrimo

    È a tradução mais fiel do feto que venceu as injeções abortivas.( dos sistemas).
    È um corpo que sem cobertor no frio e na chuva, permaneceu aquecido.

    ResponderExcluir
  33. BENTO SALES

    Sei que sua história de vida
    Deixou rastros tristes na sua alma
    Que jamais serão apagados
    Por suas marcas de dor
    A lhe ferirem como um espinho permanente,

    Mas existe uma linda rosa sobre eles
    Que lhe pede que a cuide
    Com todo amor do seu coração,
    Para que não se machuque
    Nos seus espinhos de desilusão...

    Essa rosa floresce os seus dias
    Perfuma sua vida
    Com essência de alegrias
    O nome dessa linda rosa é Taciane
    Que só lhe pede que a ame, ame e ame...

    Ela nasceu sobre eles
    Para enfeitar seu coração de amor
    Para que pudesse sentir
    Seu cheirinho adocicado de felicidade
    Solto a sua volta
    Cheia de sorrisos de inocência
    Numa infância que lhe pede cuidados
    Para que não se fira nos seus espinhos...

    Enxergue nela o amanhã
    Nele não existem espinhos a lhe ferirem
    Só uma linda estação de primavera
    Transbordando esperança
    Para que possa colher muitas felicidades
    Do seu merecimento...

    Através da magnitude de um poeta
    Em folhas soltas de epopéias
    Cuja grandeza da essência é o amor!

    Amor que sobrevive
    Sobre as feridas da alma
    Exalando-nos sua integridade e caráter
    Num exemplo de superação
    E grandeza de espírito
    Um mestre da vida
    Que teve que aprender sua algoz lição,
    Mas que as enfrentou com a força do amor
    Que sobra em seu coração!

    Um abraço de carinho e admiração!

    Regilene

    ResponderExcluir
  34. Folhas de Outono adora visitar Folhas Soltas!
    Meu querido amigo carinho!
    Nossa !!!!Vc foi muito bonzinho comigo...foi lá no meu cantinho e deixou um comentário tão generoso que senti vontade de levar na vidraçaria e botar numa moldura,rsrsrsrsrsrsrs...Ai se eu fosse tudo aquilo meu amigo,era uma pessoa monarca...mas sou muito pequenininha...agradeço seu carinho para comigo,me faz bem,me sinto feliz,com vontade de rir mais para a vida e para as pessoas que me cercam.
    O debate da Emiliana continua hj no meu blog,passa lá prá dar uma espiada,rsrsrsrsrsrs
    bjs de boa noite!

    ResponderExcluir
  35. Bentinho, meu grande amigo, vou reproduzir-te o comentário que fiz lá no blog do Dilso, para que tenhas aqui também:

    Dilso,meu amigo!
    Voltei com mais calma, ao ver o comentário deixado pelo Bentinho lá no meu blog.
    Não aguentei-me de curiosidade... e voltei.

    Reli teu poema, depois o comentário dele aqui, e meu amigo, estou muito emocionada... muito..., fiquei muito emocionada com a força da Poesia, divina Poesia que escorre na veia, que só aos homens grandes é permitido Ser, neste caso: Dilso e Bento.

    Porque o estado de Poesia a todos homens é conferido, pois, se observarmos um pouco, ela existe em praticamente tudo, mas Ser Poesia é para poucos.

    Abraços aos dois.

    ResponderExcluir
  36. Prof. Bento eu quem agradece as suas amigas palavras sempre. Se formos analisar o homem e os outros animais, veremos que a palavra razão e humano, NUNCA CABE A SERES "HUMANOS".
    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  37. BENTO
    Te admiro muito sabias?
    A sua superação. O exemplo de vida que você agora nos mostra depois de tantas violências sofridas.Mesmo assim não perdeu a dignidade,graças a Deus. O seu amor pela família, pelo próximo, pela arte, esta linda expressão é o melhor presente que você pode nos oferecer.

    Infelizmente a sua história e outras histórias de violências são largamente praticadas por este mundo afora, conforme também comentei em "PORQUE VOCÊ FAZ POEMA" de Herculano Neto sobre a abominável violência sofrida por Severina.

    Um bom final de semana e muita luz.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  38. Olá, Bento.
    O poema demonstra profunda dor, desencanto mesmo, mas é como disse uma vez um de meus professores: podemos falar da dor, das dificuldades, do solo duro da vida, mas não podemos nos esquecer da qualidade da semente que rompe sua vida, na adversidade do solo.
    Então, Bento, após ler este poema e o do site de sua cidade natal que você fez,lendo a publicação no blog da Emilia, pude aprender um pouco mais com sua pessoa, conhecendo também o outro lado das dificuldades que você passou por elas, que é o exemplo do seu espírito forte, arrojado nos bons princípios, como é o caso da boa semente dito pelo professor.
    Um abraço, amigo. Parabéns por toda sensibilidade construída, pela escrita tão bem trabalhada, fruto de sofrido esforço, mas que há de ser recompensada pela amizade que muitas pessoas dedicarão a você, e pelo visto, muitas já se somaram e se somam a você, pelo seu lado cativante, de semente madura.

    ResponderExcluir
  39. Bento, vc está famoso em escrever poema de psicologia.

    Vc falou de uma visão do mundo que vivemos!

    Reflexões!

    Hoje nós vivemos no mundo cheio de preconceitos, exclusão social, miséria, desemprego, drogas e etc...
    No poema o que mais senti foi a questão do preconceito,
    Vc sabe do que estou falando!
    Mas ninguém comanda o coraçâo das pessoas.
    Cada pessoa tem sua vaidade seu orgulho
    e tem conceitos diferentes!!
    Mas tudo isso prova a existência de Deus....
    A humanidade hoje apresenta a cada novo tempo,
    um comportamento diferente!

    Quanto sua entrevista no blog "As histórias da Emília" foi muito emocionante para mim.
    Amei, sem comentários!
    Como sua segunda irmã, sou testemunha desta história dramática. Tenho orgulho de você.
    Quero que saiba que o amo muito.

    Parabéns pelo dom da prosa!

    Luci Sales

    ResponderExcluir
  40. Meus Parabéns Bento ! Seu Poema expressa o que muitos sentem por esse mundo injusto...
    Depois vou lá conferir a sua entrevista e te conhecer um pouco mais.

    Quando puder mostre esse blog para Taciane conhecer, é da minha filha. Ela escreve algumas redações, eu corrijo algumas coisas e eu vou postando lá.

    http://www.estoriasdajuliana.blogspot.com


    Um grande abraço !

    ResponderExcluir
  41. Grande Bento...agora que somos da mesma blogosfera gostaria de te ver nos meus comentarios...postei algo novo e sua voz ali fará diferença !

    te espero !

    abraço

    ResponderExcluir